Conselho Regional de Medicina Veterinária do Piauí dá dicas de como escolher produtos de qualidade para a Semana Santa

No período da Semana Santa é comum o aumento no consumo de pescados. Pensando nisso, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Piauí(CRMV-PI) chama a atenção para qualidade destes produtos e dá dicas para os consumidores na hora das compras.

O médico veterinário, Francisco de Oliveira Neto, gerente da Vigilância Sanitária do Estado e membro do CRMV-PI explica que os pescados necessitam de uma conservação adequada para manter suas características saudáveis desde o momento da compra até o preparo, por isso, é ideal que o consumidor opte por adquirir esses produtos em estabelecimentos limpos e fiscalizados regularmente por técnicos da Vigilância Sanitária, Ministério da Agricultura e outros órgãos fiscalizadores.

Outra observação importante é verificar as condições das embalagens e ficar atento às informações contidas nas mesmas, principalmente temperatura, data de fabricação/produção e prazo de validade. Nos freezers, ilhas e/ou expositores dos estabelecimentos não devem existir poças de água ou alimentos molhados, pois são sinais de que o equipamento foi desligado ou teve a temperatura reduzida.

Para que os peixes cheguem na mesa em boas condições de consumo é preciso atentar para algumas características: peixes frescos têm olhos brilhantes e salientes; as escamas devem ser unidas, brilhantes e fortemente aderidas à pele. As guelras têm que possuir cor variando do rosa ao vermelho intenso, forte brilho e sem viscosidade. O odor do peixe é característico, mas não pode ser repugnante.

Ao comprar peixes embalados, observe a existência de etiqueta com o nome do produto, conteúdo líquido (quantidade ou volume), origem (país ou local de produção), número do lote e prazo de validade. As embalagens devem trazer ainda os selos do serviço de inspeção federal(SIF), estadual(SIE) ou municipal(SIM).

Muito procurado na Semana Santa, o bacalhau pode ser vendido resfriado dessalgado, dessalgado congelado ou resfriado. Nos três casos, deve-se ficar atento à higiene do local de armazenamento, temperatura correta do produto e informações do rótulo, caso seja comercializado embalado.

O Conselho destaca ainda a importância do médico veterinário no processo de inspeção, “pois é este profissional quem faz o controle de qualidade dos pescados, a inspeção, ação peculiar do médico veterinário”, explicou o Dr. Neto.