Governo espera que Brasil seja reconhecido como país livre de febre aftosa com vacinação

Por Carolina Menkes 

Está previsto para maio o anúncio do reconhecimento pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) do Brasil livre de febre aftosa com vacinação.

O processo de erradicação da doença no país chegou ao fim com a declaração de novas zonas livres da doença em dezembro de 2017. Em abril, completaram-se 11 anos sem registro de ocorrência de aftosa no país.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) o reconhecimento da OIE deve consolidar o processo de reconhecimento realizado pelo Mapa.

Uma das estratégias que têm sido adotadas pelo Ministério em relação ao enfrentamento da doença é a execução do Plano Estratégico do PNEFA 2017-2026 com o objetivo de criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre da febre aftosa com vacinação e ampliar as zonas livres da doença (sem vacinação).

Nova vacina

O Mapa também anunciou que a nova vacina contra a Febre Aftosa, prevista inicialmente para este ano, só estará disponível no mercado em 2019. Segundo o Departamento de Fiscalização de Insumos Agropecuários (DFIP) da Coordenação de Produtos Veterinários, a previsão anterior era a de que o período de testes fosse concluído em novembro, “mas em razão do número de partidas (lotes) a serem testadas, definiu-se para dezembro de 2018”.

A chamada “nova vacina” traz alterações à formulação utilizada na imunização do rebanho brasileiro desde 1992, com exceção de Santa Catarina (onde não há mais vacinação), como a redução da dose de 5 mililitros para 2 ml e a retirada do antígeno C.

Ainda de acordo com o DFIP, para que as mudanças sejam feitas é necessário fazer testes de segurança e eficácia do produto. De acordo com as regras estabelecidas, três lotes de cada marca comercial serão submetidos a estas análises, feitas pelo governo e pelos fabricantes, que serão iniciados em janeiro de 2018 e concluídos em dezembro de 2018.

Assessoria de Comunicação do CFMV com informações do Mapa e do CRMV-SP